MURAL DA SEMANA - 17/10/2017

MURAL DA SEMANA - 17/10/2017

TEMÁTICA IELB 2017

TEMÁTICA IELB 2017

IELB TV

Loading...

VÍDEOS: Programa da IELB no YouTube

Loading...

quinta-feira, 2 de julho de 2015

CARTA sobre união de pessoas do mesmo sexo

Porto Alegre, RS, 01 de julho de 2015.

Prezados irmãos e irmãs. As redes sociais têm falado muito sobre a decisão da Suprema Corte americana, legalizando o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo em todo o país. Paralelo a isso, movimentos dos grupos LGBT têm se manifestado em nosso Brasil. Em meio a tudo isso, apareceu o nome “luteranos” apoiando o casamento de pessoas do mesmo sexo. De fato, o nome “luterano” não é exclusividade da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB). Vários grupos têm se identificado como “luteranos”. Isso não quer dizer que todos aqueles que usam esse nome têm as mesmas convicções, o mesmo ensinamento e professam a mesma fé. A IELB é contrária à homofobia, à heterofobia e a todo tipo de preconceito. Deus ama o pecador e o ama de tal maneira que, por causa dele, enviou o seu Filho Jesus Cristo ao mundo, para que se arrependendo dos pecados e crendo nele, tenha a sua vida restaurada e seja salvo. É nesse sentido que nós, firmados e fundamentados na Bíblia Sagrada, continuamos ensinando, defendendo e praticando o matrimônio entre um homem e uma mulher, conforme nos diz Gênesis 2.24: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”. Essas palavras são repetidas e reforçadas por Jesus no Novo Testamento, em Mateus 19.1-9 e Marcos 10.1-12. Essa união tem seu fundamento e base na própria criação de Deus, conforme Gênesis 1.27: “...homem e mulher os criou”, e conclui em Gênesis 1.31: “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom.” A obra de Deus foi perfeita e foi criada para alegria e felicidade da sua criatura. Então, por que a IELB não aprova o casamento entre pessoas do mesmo sexo? Porque Deus os fez homem e mulher, e assim os criou para se completarem e realizarem o plano divino da criação. Agir de forma diferente é ir contra a criação perfeita de Deus, é ignorar os desígnios de Deus, é desprezar o seu conhecimento, conforme ele afirma em Romanos 1.18-32: “...as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens têm deixado o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sexualidade, cometendo torpeza, homem com homem, ...”. Em 1 Coríntios 6.9 e 10, fala claramente que as pessoas que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus. Por isso, quando perguntados a respeito, apenas respondemos: “Não aceitamos o casamento entre pessoas do mesmo sexo porque é contrário à vontade de Deus”. Por isso, querida Igreja, busquemos a ajuda de Deus para permanecermos sempre firmes e fiéis aos princípios da Palavra de Deus. Não nos deixemos levar por vãs filosofias e ideologias humanas, mas, sigamos o conselho do apóstolo Paulo ao jovem pastor Timóteo, em 2 Timóteo 4.1-5: “Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em todas as cousas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério.” Que o Espírito Santo nos capacite e fortaleça a vivermos e anunciarmos, sempre com amor, o que Deus tem feito, em sua graça, por todos os pecadores.

Rev. Egon Kopereck
Presidente da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)
www.ielb.org.br

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Carta Aberta da IELB sobre passeata LGBT

A última parada LGBT realizada em São Paulo, no domingo passado, mais uma vez mexeu com a sociedade brasileira. Em especial, com os cristãos, a partir do protesto de um transexual, que vestiu-se de Jesus Cristo crucificado na cruz, fazendo uma analogia do sofrimento de Jesus com o sofrimento que os travestis sofrem na sociedade civil. Ainda que muitos de nós tenhamos ficado ofendidos com a cena, por considerarmos uma blasfêmia, não nos compete julgar o transexual (Lc 6.37, 38). Aparentemente, ele pertence a um grupo que busca justamente através da polêmica e do confronto protestar por suas demandas. Outrossim, nos compete seguirmos a sugestão de Jesus de virar a outra face (Mt 5.39), isso é, não responder protesto com protesto, ódio com ódio, fa
lta de respeito com falta de respeito. A nós compete testemunhar e viver o amor de Jesus a todos os seres humanos, seja heterossexual, homossexual, travesti, etc.; todos nós humilhados pelo pecado que nossos pais Adão e Eva nos legaram (Gn 3; 1 Co 15.21, 22). Somente o Evangelho tem o poder transformador de curar os pecados e somente Cristo atende perfeitamente as principais demandas de cada pecador: a remissão dos pecados e a Vida Eterna (Rm 1.16, Jo 3.16). Como diz uma famosa frase popular, “Jesus não precisa de advogados, mas sim de testemunhas”. Que em lugar das trevas, haja luz nos corações. Que em lugar do ódio, haja amor em nossos relacionamentos. Que em lugar da intolerância façamo-nos de tudo para com todos, com o intuito de ganharmos almas para Cristo (Mt 5.16; 1 Co 9.22; Jo 15.12; Rm 12.10). Que, como povo de Deus, continuemos sendo o sal da terra e a luz para o mundo (Mt 5.13, 14), denunciando o pecado, mas superabundando o Evangelho em nossos pensamentos, palavras e ações (Rm 5.20). Que o amor e a graça do Salvador Jesus nos motivem a viver e testemunhar o que o Senhor tem feito em nossas vidas, hoje e sempre (Sl 118.17)!

Porto Alegre, RS, 10 de junho de 2015.

Rev. Egon Kopereck Presidente da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)
www.ielb.org.br

terça-feira, 24 de março de 2015

FESTIVAL MISSIONÁRIO NA CELC

Sob o lema: ENCONTRE A LUZ, ESSA LUZ É JESUS, a CEL Cristo de Videira, SC, realizou no dia 22 de março de 2015, às 19h, o 1º Festival Missionário, dando início às comemorações dos seus 75 Anos de Fundação (04/11/1940), que culminará com culto de aniversário no dia 08 de novembro do corrente ano. O festival teve a participação especial do cantor Carlos Magrão, que fez o louvor gospel. Além dele, participaram o Conselheiro do Distrito, Rev. Dilosani Penning, que falou sobre a Missão da IELB, o Rev. Martinho Renecke, no fechamento do Projeto Macedônia, desenvolveu o tema do festival com base em João 8.12: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida", e ainda o pastor local, Rev. Sérgio A. Mundstock, que fez a resenha histórica e a projeção missionária da Congregação desde a sua fundação. Mais de 300 pessoas participaram do evento, com destaque de que a metade delas era visitante e famílias especialmente convidadas dentro do Projeto Macedônia, que ao final do evento receberam o livreto: O que Ensinam os Luteranos. Confira abaixo alguns momentos...
  
(Templo da CELC)

(Carlos Magrão - Louvor Gospel) 

 
(Pr. Sérgio - Resenha e projeção missionária)

 Pr. Dilosani - Missão da IELB)

  (Pr. Martinho - Mensagem)

(Carlos Magrão - Louvor Gospel)

 
(Público presente)

(Público presente e tecladista Chiquinho)

(Saudação do Pres. da CELC - Cézar Schelske)