MURAL DA SEMANA - 18/04/2017

MURAL DA SEMANA - 18/04/2017
CLIQUE na figura e acese nosso FACE PAROQUIAL

TEMÁTICA IELB 2017

TEMÁTICA IELB 2017

IELB TV

Loading...

VÍDEOS: Programa da IELB no YouTube

Loading...

terça-feira, 28 de março de 2017

ESTRELAS DOURADAS

Durante a II Guerra Mundial, nos Estados Unidos, era costume uma família que tivesse um filho que servisse nas Forças Armadas colocar uma estrela na janela frontal da sua casa. Porém, uma estrela dourada indicava que o filho tinha morrido por apoio à causa do seu país.
Há anos, Sir Harry Lauder contou uma história comovente sobre este costume. Ele disse que uma noite um homem caminhava por uma rua de Nova Iorque, acompanhado pelo seu filho de 5 anos. O pequeno foi atraído pelas luzes que brilhavam nas janelas das casas e quis saber por que é que algumas casas tinham uma estrela nas janelas.

O pai explicou que aquelas famílias tinham um filho a combater na guerra. A criança bateu as palmas quando viu outra estrela na janela e exclamou, “Olha, Papai, outra família que deu o filho ao seu país”.
Finalmente chegaram a um descampado, depois da correnteza das casas. Daquele lugar podia-se ver uma estrela a brilhar no céu. O pequenino voltou à olhar, “Oh, Papai, olha para aquela estrela no céu! Deus também deve ter dado o Seu Filho”. (Autor desconhecido).
De fato! Há uma estrela na janela de Deus. Sabes o que Ele fez por ti? Ele deu o Seu único Filho, por causa do seu amor por nós. Sim, Jesus combateu a árdua luta contra o diabo, o mundo e a velha natureza humana, que foi corrompida pelo pecado, numa terrível batalha na cruz do Gólgota, em meu e seu lugar, e venceu. Sua gloriosa ressurreição no domingo da Páscoa é prova disso. E hoje, é uma ESTRELA que está à direita de Deus Pai, brilhando e iluminando a todo o que nele CRÊ. Como ele mesmo diz: “Eu, Jesus, enviei o meu anjo para anunciar essas coisas a vocês nas igrejas. Eu sou o famoso descendente do rei Davi. Sou a brilhante estrela da manhã” (Apocalipse 22:16).

Assim, ... Deus nos mostrou o quanto nos ama: Cristo morreu por nós quando ainda vivíamos no pecado. E, agora que fomos aceitos por Deus por meio da morte de Cristo na cruz, é mais certo ainda que ficaremos livres, por meio dele, do castigo de Deus. Nós éramos inimigos de Deus, mas ele nos tornou seus amigos por meio da morte do seu Filho. E, agora que somos amigos de Deus, é mais certo ainda que seremos salvos pela vida de Cristo. E não somente isso, mas também nós nos alegramos por causa daquilo que Deus fez por meio do nosso Senhor Jesus Cristo, que agora nos tornou amigos de Deus.(Romanos 5.8-11 - BLH); e ... Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16). Sejamos sempre gratos a Deus por tão grande AMOR!!! Amém.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

DOAÇÃO DE SANGUE



Numa aldeia vietnamita, um orfanato dirigido por um grupo de missionários foi atingido por um bombardeio. Várias crianças tiveram morte instantânea. As demais ficaram muito feridas, entre elas, uma menina de oito anos, em estado grave.
Ela precisava de sangue, urgentemente. Com um teste rápido descobriram seu tipo sanguíneo, mas, infelizmente, ninguém na equipe médica era compatível.
Chamaram os moradores da aldeia e, com a ajuda de uma intérprete, lhes explicaram o que estava acontecendo. A maioria não podia doar sangue, devido ao seu estado de saúde. Após testar o tipo sanguíneo dos poucos candidatos que restaram, constataram que somente um menino estava em condições de socorrê-la.
Deitaram-no numa cama ao lado da menina e espetaram-lhe uma agulha na veia. Ele se mantinha quietinho e com o olhar fixo no teto, enquanto seu sangue era coletado. Passados alguns momentos, ele deixou escapar um soluço e tapou o rosto com a mão que estava livre. O médico pediu para a intérprete perguntar a ele se estava doendo. Ele disse que não.
Mas não demorou muito, soluçou de novo e lágrimas correram por seu rostinho.
O médico ficou preocupado e pediu para a intérprete lhe perguntar o que estava acontecendo. A enfermeira conversou suavemente com ele e explicou para o médico porque ele estava chorando:
– Ele pensou que ia morrer. Não tinha entendido direito o que você disse e estava achando que ia ter que doar todo o seu sangue para a menina não morrer.
O médico se aproximou dele e com a ajuda da intérprete perguntou:
– Mas se era assim, porque então você se ofereceu para doar seu sangue?
– Porque ela é minha amiga... (Extraído do livro: Textos Selecionados, elaborado pelo Instituto de Desenvolvimento do Potencial Humano – IDPH)
Jesus fez isso por toda a humanidade e quer que o seu amor esteja em nós, como ele mesmo disse: “Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço. Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo. O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos” (João 15.9-13).

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

BARBA DE MOLHO



Cansado de ver seus sermões caírem no vazio, um pastor resolveu dar uma lição inesquecível aos seus ouvintes.

Num dos cultos semanais mais concorridos, ele subiu ao púlpito com seu aparelho de barbear, bacia, água, espuma, caneca, espelho e toalha. Nem sequer cumprimentou os participantes e, tranquilamente, colocou água na bacia, testou a temperatura, ajeitou o espelho, pegou uma caneca, fez espuma, passou na cara, e começou a se barbear.

Gastou vários minutos nisso, que pareceram uma eternidade para os presentes.

Ao final, quando todos esperavam que o pastor fosse fazer um desfecho maravilhoso, fosse lhes apontar o “moral da história”, ele simplesmente enxugou o rosto com a toalha, encerrou o culto e despediu o povo de volta para as suas casas.
Aquela semana foi atípica. O povo comentou o fato todos os dias, tentado adivinhar o significado de tudo aquilo: 
“- Que mensagem o pastor quer nos passar?”; “- Qual é o simbolismo espiritual da água, do sabão, do barbear-se?”

Dias depois, quando ele subiu novamente àquele púlpito, a igreja estava cheia. O pastor olhou para a congregação e disse-lhes:

Sei que vocês querem saber o significado do que fiz aqui neste púlpito na semana passada. Bem, eu vou lhes dizer: não há significado algum! Nenhum simbolismo. Nenhum desfecho maravilhoso. Nenhuma mensagem. Nenhum “moral da história”.

No entanto, se podemos tirar alguma lição disto tudo, é a seguinte: Há anos eu venho apresentando para vocês a mensagem bíblica, mas não tenho visto muita mudança em suas vidas. Minhas mensagens têm caído no esquecimento, tão logo vocês saem do templo. Eu gostaria que vocês comentassem meus sermões durante a semana, do mesmo modo que se dispuseram a comentar o meu barbear nestes últimos dias, ou será que a minha barba é mais importante para vocês que a Palavra de Deus? (Autor desconhecido)

O Senhor Deus, na Escritura Sagrada, nos diz: Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas(Deuteronômios 6.6-9).

terça-feira, 25 de outubro de 2016

CARROÇA VAZIA



Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me a dar um passeio no bosque e eu aceite com prazer. Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou:
- Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa?

Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi:
- Estou ouvindo um barulho de carroça.
- Isso mesmo, disse meu pai, e uma carroça vazia.
Perguntei ao meu pai:
- Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos?
Ora, respondeu meu pai, é muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz.
Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando (no sentido de intimidar), tratando o próximo com grossura inoportuna, prepotente, interrompendo a conversa de todo mundo e, querendo demonstrar que é a dona da razão e da verdade absoluta, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo: "Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz..." (Autor desconhecido)
Esta é a realidade da história Bíblica do Fariseu e o Publicano, que foram ao templo para orar (Lucas 18.9-14). O Fariseu era membro da seita mais ortodoxa dos judeus. Estava em pé no templo. Fez seu o objetivo de ser tão destacado e visível quanto possível. Ele orava de si para si mesmo. Literalmente: Suas palavras eram mais de congratulação e louvor de si mesmo, do que uma comunicação com Deus. Vaidosamente enumerou suas supostas virtudes, agradecendo também a Deus, porque não era como as outras pessoas...
O fariseu é um tipo de todas as pessoas presunçosas de todos os tempos, de cada pessoa que se agrada a si mesma e que tem prazer em sim mesma, em seu próprio ser e agir que julga maravilhosos; que se gaba diante de Deus de sua honestidade civil e de sua reputação que julga imaculada, de sua brilhante virtude exterior, e que aponta o dedo para os outros com desdém... é oco e barulhento... é carroça vazia...
O publicano não tinha nada da arrogância e autoconfiança do fariseu. Estava em pé, longe, provavelmente na sombra dum pilar, onde podia passar o quanto mais possível desapercebido. Está vivamente consciente de sua indignidade... Sua oração é curta e profunda: “Ó Deus, tem pena de mim, pois sou pecador!”
E Jesus terminou, dizendo: “Eu afirmo a vocês que foi este homem, e não o outro, que voltou para casa em paz com Deus. Porque quem se engrandece será humilhado, e quem se humilha será engrandecido (Lucas 18.14).