MURAL DA SEMANA - 16/04/2019

MURAL DA SEMANA - 16/04/2019
OPORTUNIDADES DE CRESCIMENTO ESPIRITUAL

TEMÁTICA IELB 2019

TEMÁTICA IELB 2019

quarta-feira, 3 de abril de 2019

PAI, CONSEGUIMOS...


Um menino estava tentando tirar um objeto que atrapalhava o caminho por onde ele andava de bicicleta. Como não tinha força suficiente para empurrar o objeto, disse ao seu pai que o observava: “não consigo tirar esse negócio do caminho, pai!”.
O pai perguntou se ele já tinha pensado e usado todos os meios para mover o obstáculo. O menino respondeu que sim. Então o pai disse ao filho: “parece que você esqueceu de pedir ajuda a mim.” O menino, então, sorriu.
Juntos, pai e filho tiraram o objeto que atrapalhava o percurso da bicicleta. No final, o menino disse: “Pai, conseguimos. Obrigado!” (Autor desconhecido)
Parece que isso já aconteceu ou acontece com cada um de nós, não é mesmo? Quantas vezes esquecemos de nos relacionar, de buscar ajuda como o nosso Pai do Céu, e queremos tirar as pedras do nosso caminho sozinhos?
Na verdade, essa é uma situação natural ao ser humano. Sozinhos, não conseguimos manter um relacionamento com Deus. Precisamos de ajuda. Aqui entra o que o apóstolo Paulo nos diz no capítulo 4 de sua carta aos Gálatas: “Deus enviou o Espírito do Filho ao nosso coração, o Espírito que exclama: Pai, meu Pai” (Gl 4.6). O Espírito Santo, ou, como diz a Bíblia Sagrada em muitas outras passagens, o Auxiliador, o Confortador, nos remete para Deus. Ele faz com que nos relacionemos com Deus. “Ele nos assiste em nossas fraquezas, porque não sabemos orar como convêm” (Rm 8.26).
“Pai, conseguimos. Obrigado!” Assim o filho expressou sua alegria pela ajuda que recebeu do Pai para tirar a pedra do caminho.
E nós, diante da permanente ajuda que recebemos do Pai celestial, qual tem sido a nossa resposta a ele? Temos um coração agradecido e disposição constante para lhe servir e render culto de louvor? Falamos e testemunhamos do seu grande amor para conosco ou simplesmente atribuímos tudo à “sorte” e ao nosso esforço? Que nós sigamos a recomendação do apóstolo Paulo: “Não se embriaguem, pois a bebida levará vocês à desgraça; mas encham-se do Espírito de Deus. Animem uns aos outros com salmos, hinos e canções espirituais. Cantem, de todo o coração, hinos e salmos ao Senhor. Em nome do nosso Senhor Jesus Cristo, agradeçam sempre todas as coisas a Deus, o Pai (Efésios 5.18-20 - BLH).
Portanto, FIRMADOS EM CRISTO, SEGUIMOS E COMPARTILHAMOS OS ENSINAMENTOS DOS APÓSTOLOS... E o SENHOR Deus continuará a fazer maravilhas em nosso meio, na família, na igreja e no lugar onde fomos colocados por ele. Amém.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

CONECTADOS COM DEUS


SE NÃO TIVER AMOR, EU NADA SEREI - Esse foi o tema do último culto (03/02), baseado no texto bíblico de 1Coríntios 13.2: “AINDA QUE EU TENHA O DOM DE PROFETIZAR E CONHEÇA TODOS OS MISTÉRIOS E TODA A CIÊNCIA; AINDA QUE EU TENHA TAMANHA FÉ, A PONTO DE TRANSPORTAR MONTES, SE NÃO TIVER AMOR, NADA SEREI”...
Alguém disse certa vez: “SE EU NÃO FOR NO CULTO, ESTOU PERDENDO!!!”  E, de fato, cada culto é um momento sem igual, uma oportunidade de recarregar a energia espiritual... No culto nós temos o momento especial de OUVIR O ANÚNCIO DO PERDÃO dos pecados, que são constantes em nosso viver... no culto temos a PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO salvador de Jesus que acalma, fortalece, oriente e direciona nossa vida de comunhão com Deus... no culto temos o ABRAÇO DO PERDÃO através da Santa Ceia, onde Jesus vem com seu corpo e sangue em, com e sob o pão e o vinho, dando-nos a certeza do perdão dos pecados e fortalecendo a nossa FÉ, ESPERANÇA E AMOR, que são essenciais para nossa vida na família, na igreja e na sociedade... entre outros.
Por isso, o apóstolo Paulo diz: SE NÃO TIVER AMOR (ágape, no grego) NADA SEREI, definindo-o assim: “Quem ama é paciente e bondoso. Quem ama não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso. Quem ama não é grosseiro nem egoísta; não fica irritado, nem guarda mágoas. Quem ama não fica alegre quando alguém faz uma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo. Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência. O amor é eterno...” 1Coríntios 13.4-8) E esse AMOR só encontramos em Deus, ele é a única fonte e o doador deste AMOR, que faz toda diferença em nosso viver.
Ao olharmos para o nosso celular, Smartphone, ou tablet, é comum a gente conferir o nível de carga, para não ficarmos sem conexão e, ás vezes, recebemos o alerta: BATERIA FRACA...  Agora, olhando para o que é essencial para nossa vida como a FÉ, a ESPERANÇA e o AMOR, que são dádivas de Deus e que só os que vivem conectados com ele tem, qual é o nível de energia de cada um??? 100%? 50%? 30%? Ou, BATERIA FRACA?
Não permita que a chuva, o frio, o calor, pessoas, ou qualquer outra coisa o atrapalhe para estar na casa de Deus. Venha conectar-se com A FONTE que é Deus, pois na igreja estão as “tomadas” para recarregar a sua energia e não correr o risco de ficar sem carga... “ALEGREI-ME QUANDO ME DISSERAM: VAMOS À CASA DO SENHOR. ” (Salmo 122.1)

terça-feira, 25 de setembro de 2018

FÉ NAS PROMESSAS


O mundo em que vivemos está cheio de promessas. Promessas boas e promessas ruins. Promessas que se cumprem e promessas que não se cumprem. Em Lucas 1.39-45 podemos ver a história de duas mulheres. Uma dessas era Isabel, que era uma mulher que não podia ter filhos, sendo considerada em seu tempo uma pessoa amaldiçoada por Deus. A outra mulher era Maria, que vivia uma situação diferente. Ela podia ter filhos, mas engravidou sendo ainda solteira, o que era passível de apedrejamento.
Se fossemos olhar do ponto de vista humano, nenhuma das duas mulheres tinham motivos para se alegrar, mas elas tinham FÉ. Fé nas promessas. Isabel ficou grávida, mesmo sendo estéril, e deu à luz a João Batista, que anunciaria a vinda de Cristo. E Maria deu à luz ao próprio Jesus, que era prometido como o nosso Salvador.
Algumas pessoas olham para este texto pensando que Isabel e a Maria eram mulheres diferentes e especiais, alguns até as consideram santas. Mas nada disto, eram pessoas como nós. Elas ouviram as promessas de Deus. Estas mesmas promessas nós ouvimos e por causa delas que Deus nos faz crer.
Como podemos ler já em Gênesis 3.15, onde está escrito: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. Aqui vemos a primeira promessa de que Deus enviaria o Messias. E da mesma forma podemos ver em todo o Antigo Testamento as promessas daquele que haveria de vir como o exemplo de Jeremias, que fala do descendente de Davi que será um Rei Justo – a saber, Cristo, o Filho de Deus, também chamado de “Senhor, nossa Salvação” (Jr 23.5-6).
Por isso, podemos ter certeza como a Maria e a sua prima Isabel tiveram, de que as promessas feitas por Deus, são cumpridas. Por isso não nos preocupemos, mantenhamo-nos firmes na fé, pois se crermos nas promessas, certamente alcançaremos a coroa da vida e salvação eterna em Cristo Jesus.  Porque Cristo é o cumprimento das promessas e ele esteve entre os homens no seu Primeiro Advento, morreu na cruz e ressuscitou ao terceiro dia e subiu ao céu no dia da Ascensão, prometendo que voltaria para julgar os vivos e os mortos no Segundo Advento. E nós podemos crer que isto é certamente verdade.
Nós podemos dizer que somos felizes porque cremos nas promessas de Deus, mas há ainda aqueles que não conhecem essas promessas. E nós temos que anunciar estas promessas para estas pessoas. Pois é um meio de fazê-lo é visitando estas pessoas e anunciando a alegria de se poder crer nas promessas de perdão, vida e salvação, que se concretizou em Cristo. Fazendo isto, estamos contribuindo na missão de Deus, levando Jesus que é o mesmo ontem, hoje e sempre para todas as pessoas, vivendo e anunciando o que o Senhor tem feito, no lugar onde fomos colocados por Deus.

Diante de nossa alegria de crer nas promessas e de ter o privilégio de anunciá-las ao próximo que ainda não as conhece, podemos nos alegrar de tal maneira e no final cantar como Maria, que cantou um dos cantos mais belos da Bíblia que é o Magnificat: “A minha alma anuncia a grandeza do Senhor. O meu espírito está alegre por causa de Deus, o meu Salvador” (Lc 1.36-37). Que assim seja. Amém.